A DEUSA DURGA

Durga é a protetora de lei e da ordem (Dharma), e a destruidora do mal. Durga está identificada próximo com Shakti, e, como tal, é a contra-forma feminina de Siva. Ela é a guardiã protetora sempre atenta, tanto feroz como no amor. A Deusa Durga, como representação da Grande Mãe, também é conhecida por vários nomes, tais como: Parvathi, Kali, Gauri, MahaGauri, Maheshivari, Bhavani, Isana, Annapurna, Karunamayi, Shaarika, Shantadurga, Jagaddhatri, Amba, Sati, Tara, Ambika, Umarama, Bramani, Radha, Rukumeni, Sita, Yosodhara, Dakini, Rakini, Lakshimi, Kakini, Shakini, Hakini, Kundalini, Saraswati etc.. Mas, apesar de ter tantos nomes, ela é única na sua essência, atuação, manifestação e poder.
O aparecimento de Durga:
Certa vez os semideuses não podiam derrotar ao demônio búfalo, Mahishashura, que ameaçava a existência do Universo. Os Devas, que tinham os poderes de detê-lo juntaram seus poderes e criaram Devi Durga, que com sucesso destruiu o demônio. Para isso, pediram ajuda a Shiva que aconselhou a todos os deuses que emitiram sua energia shakti. A energia emitida se fundiu em uma luz que cegava, que fez surgir a uma magnífica e e completa Deusa, com muitos braços, que era tão bela quanto letal. Os deuses a chamaram de Durga, a Invencível e a armaram com todas as suas armas.

Originalmente era considerada como a personificação das forças naturais que outorgam e também cegam a vida. Como tal, se nutre da ingenuidade e da dedicação à natureza, protegendo-a com todas as suas forças. Também é conhecida como a Indecifrável, porque destrói a ignorância. Em troca, exige um sacrifício, que em algumas histórias, implica uma vida humana.
Durga é o poder da realização e destruidora do mundo da ilusão. Conhecida as vezes como a Incansável é, como esse aspecto, outra manifestação da consorte de Shiva. Ela é o aspecto feminino do Senhor Shiva, é a potência feminina que organiza o caos define possibilidades, e manifesta a vida no Universo. É a força que gera e concretiza a vontade do Supremo Criador, Mantenedor e Transformador, e manifesta todas as formas pelas quais a vida se expressa, pulsa e vibra. Ela é representada simbolicamente como uma linda mulher, adornada com jóias magníficas e vestida com roupas de seda vermelhas e bordadas de dourado resplandecendo e emanando poder. Ela possui dezoito braços carregando vários objetos nas mãos. Para cada objeto que ela carrega nas mãos existe um significado simbólico específico, que enfatiza seus poderes. Nas suas representações ela carrega as égides de Shiva evidenciando ser sua extensão feminina. A cor vermelha simboliza ação e as roupas vermelhas significam que ela está sempre em movimento destruindo as forças do mal e protegendo a natureza e a humanidade de dores e sofrimentos causados pela influência da ignorância que resulta em atuações malignas. video Mãe Durga é iluminada e resplandecente como a Lua, monta o leão ou o tigre, seu veículo animal. Carrega nas suas mãos várias armas, suas égides, e possui o brilho intenso do fogo divino destruidor e transformador. Como Parvati, Ela é doce e serena, compreensiva, é a potência acolhedora e compassiva, a fiel e amorosa e inseparável consorte do Senhor Shiva. Ela permanece sempre ao lado esquerdo d’Ele nos picos brancos e congelados do Monte Kailash no Himalaya como complemento incondicional do Seu poder. Sati Ela é fidelidade e renúncia. Por amor e solidariedade a Shiva (a energia transformadora) tudo enfrenta. Sati, por amor solidário a seu esposo divino, chega a se deixar consumir pelas chamas na pira ardente, porque não suporta ver Shiva, seu amado, ser destratado durante um ritual, onde todos os deuses foram convocados, exceto ele. Com isso, Sati provoca a ira do seu pai Daksha, e a revolta destruidora de Shiva, conforme é narrado no Bhagavatam. Sua imagem é extremamente brilhante (devi), com três olhos como lótus, dez poderosas mãos, cabelos exuberantes com formosos anelados, um vermelho-dourado brilhante de sua pele e pedras preciosas. Cada deus também lhe deu a sua arma mais poderosa, o tridente de Rudra, o disco de Vishnu, o raio de Indra, kamandal de Brahma. O Himalaia presenteou-lhe com um feroz leão dourado. video
DURGA, A DEUSA SKANDMATA - O quinto aspecto da Mãe Durga é conhecido como Skanda Mata. Seu nome significa literalmente Mãe de Skanda Kumara ou do Senhor Kartikeya, que foi escolhido pelos deuses como seu comandante -chefe na guerra contra os demônios. Ela é adorada no quinto dia de Navaratri. Devi Skandmata é a filha do Himalaia e também é conhecida como Parvati. Ela também é conhecida como Maheshwari e Gauri. Por ser a filha do rei das montanhas, ela também é conhecida como Parvati. Depois de fazer penitência, ela é casada com Shiva. Como a esposa do Senhor Mahadeva, ela é Maheshwari. A deusa ama seu filho muito e tem o prazer de ser nomeada após o nome de seu filho. Skanda é um grande guerreiro, vencendo inimigos na batalha entre os Devas e Asuras como ele senta-se montado um pavão e atravessa a terra com infalível rapidez. Skandamata é reverenciada por ter produzido um filho tão notável. Devotos adorando ela nesta manifestação podem obter imenso amor e carinho. Embora representada montada em um leão, ela também é conhecida como Padmaasanaa como seu lugar de escolha é a flor de lótus.
DESCRIÇÃO: A deusa pode ser vista dando suas bênçãos maternais em seu filho Skand Kumar. Senhor Skanda acompanha a deusa em sua forma infantil. Sempre que há extrema opressão pelos inúmeros demônios, a deusa Skandmata monta um leão, o Nityam Singhasana, e mata todos eles. Devi Skandmata tem quatro braços. Ela tem flor de lótus em duas mãos e usa a outra mão para apoiar o Senhor Kartikeya sentado em seu colo. Sua quarta mão é levantada para abençoar os devotos. É tão magestosa que até o tolo, quando se torna bendito por ela, é inundado por seu oceano de sabedoria. O grande poeta Mahakavi Kalidas está situado como um exemplo. Essa Mãe não carrega armas. Vê-se as energias de Skandamata transformando a bênção de cura da Deusa Durga e enviando suas mãos abertas aos bhaktas que esperam para receber as gotas de energia entratem em suas casas e local de trabalho. Essa Mãe tem três olhos. Ela tem uma aparência brilhante e muitas vezes é descrita como sentada em um lótus. ADORAÇÃO: Vidhi significa regras e regulamentos pertinentes ao culto. O Puja Skandamata Vidhi seria semelhante para os primeiros quatro dias. O bhakta deve estar sentado em um assento sagrado em um cobertor durante a realização dos rituais e começar a adorar a Deusa como tem feito nos primeiros quatro dias do Navratra , seguido por cantar o mantra dado: 'Sinhasangata Nityam Padyashritakardya Shubhdastu Sada Devi Sakanmata Yashaswani'. Como no dia anterior ao puja Navarathra, Lord Shiva e Brahmaji são adorados no fim do Puja de acordo com os rituais mencionados nos Shastras. Algumas pessoas observam o jejum de no quinto dia do Navratra. Este jejum é considerada muito proveitoso. Os devotos que adoram Devi Skandmata com toda devoção e atenção recebem bênçãos dela e todos os seus desejos sejam cumpridos. Suas oferendas usuais são cachos de uva, flores perfumadas, frutas, jóias e roupas.
DIVINDADE SOLAR: A Deusa Skandmata é também a divindade do sistema solar. Por adorar a deusa em forma de Skandamata, o devoto recebe todos os seus desejos cumpridos e saboreia a alegria suprema, mesmo neste mundo muito mortal. Uma aura sobrenatural na atmosfera é descarregada pela deusa e aquele que adora com seu com coração puro. Ele fica a livre de todos os problemas e sofrimentos.
CHAKRA: Como a força potente e faceta da energia feminina, a Deusa Skandamata reivindica como seu próprio chakra Vishuddha . Isso é simbolizado por um lótus de 16 pétalas, este Chakra é também conhecido como o Chakra da Garganta que simboliza a criatividade e a comunicação. O aspirante Kundalini entra no Chakra Visuddha durante as orações Skandamata. Para incisão no chakra do devoto, ele ou ela deve primeiro adorar a deusa realizando os rituais para alcançar Chakra Visuddha. Ela carrega a imagem de embelezamento de uma deusa sentada sobre uma flor de lótus. Esta é a razão pela qual ela é também conhecida como Padamasani.
MANTRA: Mantra Skandmata: Sinhasangata Nityam Padyashritakardya; Shubhdastu Sada Devi Sakanmata Yashaswani

Nenhum comentário: